top of page

CADEIRA 36: José Paranaguá de Santana

Patrono: Ovídio Borges Montenegro


1º Ocupante: Geniberto Paiva Campos ( solic. desligamento 2008)

Ocupante atual: José Paranaguá de Santana


Curriculo:

Nasceu em 24 de abril de 1950, em Campo Maior-PI, filho de Raimundo Nonato Monteiro da Santana e Magnólia Nogueira Paranaguá de Santana.

Graduou-se em Medicina pela Universidade de Brasília, 1974; residência médica em medicina comunitária, Universidade de Brasília, 1975; mestrado em medicina tropical, Universidade de Brasília, 1980, com o tema Estudo Sobre Atenção à Saúde Infantil no Projeto Planaltina, orientado por Dr. Simões Barbosa; doutorado em ciências da saúde, Universidade de Brasília, 2012, com o tema Cooperação Sul-Sul na Área da Saúde: Dimensões Bioéticas, com o Prof. Volnei Garrafa como orientador.

Dentre suas atividades profissionais, atuou na Fundação Nacional de Saúde, Ministério da Saúde, 1993-2004. Em suas atividades paraprofissionais, atuou como consultor do Programa de Cooperação em Desenvolvimento de Recursos Humanos, Organização Pan-Americana da Saúde, 1979-2012; Diretor do Departamento de Modernização Administrativa e Desenvolvimento de Recursos Humanos, Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social, 1985-1988; assessor à disposição de organismo internacional das Nações Unidas, no Ministério da Saúde, 1995-1996; Coordenador Geral de Política de Recursos Humanos para o SUS, Fundação Oswaldo Cruz. 2004-2011; Coordenador do Núcleo de Estudos em Bioética e Diplomacia em Saúde na Fundação Oswaldo Cruz desde 2010.

Suas atividades em colegiados médicos podem ser assim resumidas: Conselheiro do Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal, 1988-1998; atual assessor da Comissão de Humanidades Médicas do Conselho Federal de Medicina.

Em suas atividades de ensino, atuou como professor do Departamento de Medicina Geral e Comunitária, Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade de Brasília, 1976-1979; docente da Escola Fiocruz de Governo.

Dentre suas principais pesquisas estão: Ensino Médico no Brasil – projeto sob os auspícios do Acordo MEC-MPAS-MCT-OPAS, por demanda da Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação e Cultura, 1982-1986. Observatório sobre Regulação Internacional de Fatores de Risco Associados às Doenças Crônicas não Transmissíveis – projeto em execução pelo Núcleo de Estudos sobre Bioética e Diplomacia em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz Brasília.

Suas apresentações mais recentes em eventos científicos ocorreram no VII Congresso Ibero-Americano de Direito Sanitário e XIII Seminário Internacional de Direito Sanitário, como participante do painel intitulado Desafios Para a Efetivação da Saúde Como um Direito Universal, 2017; XII Congresso Brasileiro de Bioética, como participante do painel intitulado Bioética, Saúde Global e Cooperação Internacional, 2017; III Congresso Internacional de Atenção Primária à Saúde e IV Congresso Piauiense de Atenção à Saúde, como participante do Painel intitulado Desafios críticos do saber e fazer no campo da Saúde Internacional, 2017.

Livros publicados: Os Sanitaristas de Jucás e o Agente de Saúde, Natal, UNA, 2017; Aspectos Institucionais do Emprego e da Atividade do Médico na Atenção à Saúde da Família no Distrito Federal: Estudo de Caso nos Setores Público e Privado, Brasília, UnB-CEAM-NESP-Observatório de Recursos Humanos em Saúde, 2010; Organização do Cuidado a Partir de Problemas: Uma Alternativa Metodológica Para a Atuação de Equipe de Saúde da Família, Brasília, Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), 2000; Capacitação em Desenvolvimento de Recursos Humanos de Saúde, Natal, EDUFRN, 1999; Desenvolvimento Gerencial de Unidades Básicas de Saúde, OPAS, 1997; Os Cursos de Medicina no Brasil: Análise Preliminar dos Dados do Sistema de Informações Sobre Escolas Médicas, Brasília, OPAS, 1986.

Dentre seus artigos publicados em periódicos científicos, listam-se: Um Olhar Sobre a Cooperação Sul-Sul em Saúde. Ciência e Saúde Coletiva, 2011; Dossiê Bioética e Diplomacia em Saúde: Apresentação, História, Ciências, Saúde: Manguinhos, 2015; Desenvolvimento, Desigualdade e Cooperação Internacional em Saúde, Ciência & Saúde Coletiva, 2017; Dimensões Bioéticas da Cooperação Internacional em Saúde: Ainda Uma Questão Polêmica? Ciência & Saúde Coletiva, 2017.

Como homenagens relevantes recebidas citam-se: moção Gente que Faz Saúde, outorgada pelo Ministério da Saúde e pela Organização Pan-Americana da Saúde, no Ano Internacional dos Trabalhadores de Saúde da Organização Mundial da Saúde, 2006; diploma em Reconhecimento ao Trabalho Valoroso na Construção da Política de Desenvolvimento e Formação de Trabalhadores de Nível Médio da Área da Saúde, outorgado pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, 2007; certificado de reconhecimento por Dedicação e Trabalho ao Curso de Medicina da Universidade Estadual de Londrina, 2007; Reconhecimento Imediato, outorgado pela Organização Pan-Americana da Saúde e pela Organização Mundial da Saúde, 2007; prêmio ao trabalho em equipe, entregue pela Organização Pan-Americana da Saúde e pela Organização Mundial da Saúde, 2009; Mérito Acadêmico, entregue pela Federação Brasileira de Academias de Medicina, 2014; Ordem do Mérito Heróis do Jenipapo, outorgada pela Prefeitura de Campo Maior, Piauí, 2016.

Considera sua melhor realização profissional ter participado do processo da Reforma Sanitária Brasileira, concretizada na implantação do Sistema Único de Saúde (SUS). Declara ser o que mais o incentiva como médico é o ideal de contribuir para a redução das desigualdades sociais no campo da saúde.

CADEIRA 36: José Paranaguá de Santana
bottom of page